Pode parecer ironia, mas justamente a pandemia do novo Coronavírus (COVID-19), responsável por causar a redução do mercado de tablets mundialmente, poderá ajudar na recuperação desse segmento. 🤔

Publicidade

Isso é o que aponta uma pesquisa da Strategy Analytics; ela afirma que, apesar dos efeitos negativos da pandemia, o mercado de tablets superou as expectativas ao se manter dentro da queda (prevista) de 12% durante o primeiro trimestre do ano (em relação ao mesmo período de 2019) — o que não pode ser dito pelo mercado de smartphones.

Mais precisamente, a SA estima que a Apple tenha vendido cerca de 9,6 milhões de iPads nos últimos três meses, ante 9,9 milhões no primeiro trimestre do ano passado — números bem diferentes daqueles vistos pela IDC, que calculou uma queda monstruosa de 30% nas vendas de tablets da Maçã (6,9 milhões de unidades).

Não obstante, a empresa continua liderando esse segmento, seguida pela Samsung (de 4,7 a 5 milhões de dispositivos vendidos). Entre as maiores fabricantes, a única que viu as vendas subirem no último trimestre foi a Lenovo, com cerca de 1,6 milhão de dispositivos vendidos.

Publicidade

Apesar dos pesares, a SA prevê que as vendas de tablets poderão subir neste trimestre (que vai até junho) — como dissemos, devido à pandemia. Segundo a firma, a adoção do home office e do ensino à distância ao redor do mundo beneficiará a compra desses dispositivos, uma vez que muitas empresas e escolas buscam manter a produtividade durante a quarentena.

A Apple também compartilha desse sentimento e, segundo o diretor financeiro da empresa, Luca Maestri, já é possível notar um aumento na demanda por iPads e Macs, algo que poderá afetar (positivamente) os resultados do próximo trimestre fiscal da companhia.

via Cult of Mac

Publicidade
Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…