Código do iOS

Lembram da Corellium? A empresa de virtualização foi processada há algum tempo pela Apple por conta da criação de uma cópia fiel (e não-autorizada, claro) do iOS — cópia essa usada por desenvolvedores para criar aplicações e explorar falhas no sistema sem a supervisão da Maçã. O processo estava correndo normalmente, mas agora encontrou um obstáculo formidável: o Governo dos Estados Unidos.

Mais especificamente, como informou a Forbes, o Departamento de Justiça dos EUA pediu um adiamento do testemunho de Chris Wade, cofundador da Corellium. A Apple solicitou o depoimento há alguns meses, mas o órgão federal quer saber que tipo de evidência a empresa está planejando exibir à corte antes de autorizar a convocação do executivo.

Na última semana, um dos advogados da Maçã relatou que a equipe de defesa de Cupertino tinha obtido “fotografias que revelam informações altamente sensíveis sobre fontes e métodos relacionados à investigação interna da Apple”. Ainda não há informações sobre a natureza dessas imagens, mas um registro anterior do processo citou “preocupações acerca da segurança nacional” dos EUA. A Apple afirmou que entregaria as evidências à corte somente após garantias acerca da confidencialidade delas.

Ou seja, no momento, a situação é uma verdadeira sinuca de bico: a Apple não quer revelar as evidências antes de obter uma garantia de que elas serão protegidas, e o Departamento de Justiça dos EUA impede o prosseguimento do processo até que saiba do que se tratam as imagens.

Segundo uma fonte ouvida pela Forbes, o interesse do governo no caso tem a ver com uma investigação criminal atualmente em curso, mas que não é diretamente ligada a nenhuma das empresas. Já David Hetch, advogado da Corellium, afirmou que a Apple estaria “entrando numa situação difícil”, citando os valores da empresa que defende como “patrióticos” e “respeitosos em relação às leis de propriedade intelectual” dos EUA.

No momento, não há como saber de que forma esse impasse será resolvido — teremos que aguardar os próximos capítulos da história.

Empresas receosas de trabalhar com a Corellium

Mesmo que o processo ainda esteja em curso, em um aspecto a Apple já conseguiu uma espécie de vitória em relação à rival: de acordo com a Motherboard, diversas empresas que já fizeram negócios com a Corellium estão receosas de seguir trabalhando com a empresa ou usar os seus produtos.

A razão é simples: a maioria delas que usa (ou usou) os softwares da Corellium são desenvolvedoras do mundo iOS/iPadOS que estão, de alguma forma, ligadas ao ecossistema da Apple. Ao mesmo tempo, a Maçã lançou uma investigação intensa sobre as companhias que fizeram negócios com a sua rival nos tribunais; com isso, as empresas têm medo que a gigante de Cupertino lance represálias por conta do uso dos softwares (alegadamente) ilegais.

Um pesquisador de segurança afirmou o seguinte à reportagem:

A Apple criou um efeito de temor. Eu não sei se isso é intencional, mas quando eles nomeiam indivíduos em empresas que se posicionaram a favor [da Corellium], eu definitivamente acredito que algum tipo de represália é possível.

A fala do pesquisador certamente refere-se à investigação, sugerida à justiça pela Apple, de duas empresas que teriam feito negócios com a Corellium: o Banco Santander e o grupo de inteligência L3Harris Technologies, como citamos nesse artigo.

Obviamente, nem todos os pesquisadores e desenvolvedores deixarão de usar os produtos da Corellium da noite para o dia por conta desse temor: uma outra fonte ouvida pela Motherboard afirmou que continua usando o software da empresa para testar aplicações e bugs — no caso específico dele, na linguagem de programação Go.

O fato é que, com ou sem vitória nos tribunais, a Maçã já conseguiu — de certa forma — acender o pavio de uma virada no jogo. Se o mérito disso tudo está do lado certo da história ou não… bom, essa já uma discussão totalmente diferente. O que vocês acham?

via 9to5Mac, MacRumors

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários