Com quase 100 lojas já reabertas, Apple detalha mudanças feitas para conter o Coronavírus

Em nosso último apanhado de notícias sobre Apple relacionadas ao novo Coronavírus (COVID-19), cobrimos os planos de reabertura de algumas lojas na Itália. Com mais umas 25 localidades que reabrirão esta semana nos Estados Unidos e 12 no Canadá, a Apple terá de volta funcionando quase 100 lojas espalhadas pelo mundo.

Diante do cenário atual, a vice-presidente sênior de varejo + pessoas Deirdre O’Brien publicou uma carta aberta no site da Apple falando sobre as mudanças que foram e estão sendo feitas em suas lojas para conter a disseminação do Coronavírus.

Eis um resumo geral das medidas:

  • Todos os visitantes a Apple Stores serão obrigados a usar máscaras ou protetores faciais, e a Apple pretende prover isso a consumidores que não tiverem.
  • Todos os visitantes terão sua temperatura medida na entrada às lojas, e caso apresentem algum sintoma suspeito (como tosse ou febre) ou tenham tido contato recente com alguém contaminado (graças ao framework desenvolvido pela Apple e pelo Google) passarão por um questionário com orientações sobre o que fazer.
  • Haverá um limite de pessoas permitidas ao mesmo tempo dentro das lojas, de maneira a dar espaço/distanciamento para os clientes que lá estiverem.
  • A Apple implementou medidas extras de limpeza/desinfecção de todas as áreas e produtos expostos nas lojas, feitas algumas vezes ao dia.
  • Consumidores que forem buscar produtos comprados online ou deixar produtos para reparo poderão fazê-lo sem ter que entrar na loja de fato, em algumas localidades.

De acordo com O’Brien, a Apple não está com pressa para reabrir nenhuma loja:

Nosso compromisso é apenas avançar com a reabertura quando estivermos confiantes de que podemos retornar com segurança ao atendimento aos clientes de nossas lojas. Analisamos todos os dados disponíveis — incluindo casos locais, tendências de curto e longo prazo, e orientações de autoridades nacionais e locais de saúde. Essas não são decisões em que nos apressamos — e a abertura de uma loja de maneira alguma significa que não daremos o passo preventivo de fechá-la novamente, se as condições locais o justificarem.

Por ora, não há nenhuma previsão de quando as duas lojas brasileiras — a Apple Morumbi, em São Paulo; e a Apple VillageMall, no Rio de Janeiro — reabrirão, até porque isso só poderá acontecer quando os shoppings forem liberados a funcionar.

A Apple tem hoje 510 lojas em todo o mundo, ou seja, cerca de 80% ainda permanecem fechadas.

via 9to5Mac

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários