Apple já reabriu mais da metade das suas lojas; confira fotos da Apple Sydney renovada E mais: a Itália lançou seu aplicativo de rastreamento integrado à API da Apple e do Google

E cá estamos nós de novo para mais um giro sobre as notícias do novo Coronavírus (COVID-19) — mas com um foco especial nas lojas da Apple. Vamos lá?

Publicidade

Mais de metade das lojas já reabertas

Para começar, uma marca importante para a empresa: de acordo com um levantamento do 9to5Mac, mais da metade das lojas da empresa já reabriram ao redor do mundo. Mais precisamente, 256 Apple Stores já estão reabertas — 50,19% dos 510 espaços de varejo da companhia espalhados pelo planeta.

Anúncio na Apple Fifth Avenue
Aviso de fechamento na Apple Fifth Avenue | 📷 wshu

Obviamente, a reabertura não significa que todas as lojas estão funcionando plenamente: algumas delas, respeitando as diretrizes locais de reabertura, montaram balcões na porta para atender clientes sem entrada nos espaços. Outras já admitem consumidores dentro das dependências, mas com limite de capacidade, checagem de temperatura e obrigação do uso de máscaras.

No momento, dez países e territórios já têm todas as suas lojas da Apple reabertas: Alemanha, Austrália, Áustria, China, Coreia do Sul, Hong Kong, Macau, Suíça, Taiwan e Tailândia. Outros cinco têm reaberturas parciais: Canadá, Estados Unidos, Itália, Japão e Suécia.

Publicidade

O Brasil, por sua vez, encontra-se na lista de países ainda sem nenhuma loja reaberta — por aqui, a Apple Morumbi e a Apple VillageMall continuam fechadas, sem previsão de reabertura. Bélgica, Emirados Árabes Unidos, Espanha, França, México, Países Baixos, Reino Unido, Singapura e Turquia são os outros países ainda com índice zero de reabertura.

Vale notar que o processo está sujeito a uma série de fatores: a própria Apple afirmou que, caso a situação volte a piorar em algum local onde suas lojas já foram reabertas, não hesitará em voltar a fechá-las até que seja seguro. Ou seja, acompanhar a reabertura das Apple Stores é, de certa forma, acompanhar o próprio progresso do combate ao Coronavírus no mundo — esperamos, portanto, que as notícias sejam boas nos próximos tempos.

Nova Apple Sydney

Uma das reaberturas da Maçã, por sua vez, precisa ser destacada: como falamos aqui recentemente, a Apple Sydney abriu suas portas novamente após meses de reformas.

Publicidade
#AppleStore2020 #sydney #newspirit #everydaynew Minha temperatura foi checada e eu ganhei uma máscara da Apple! 😷 Tudo certo!

Leitores do 9to5Mac que estiveram na reinauguração compartilharam algumas fotos da loja — que, como era de se esperar, traz agora todos os elementos da nova experiência de varejo da Apple, como o telão do Today at Apple, as Avenues de produtos embutidas nas paredes, o chão de pedra e a iluminação difusa, com instalações de fibra de vidro no teto. Vejam só:

Lindona, hein?

Apple Card estende pagamentos

Enquanto isso, em outras notícias relacionadas ao Coronavírus, a Apple e o banco Goldman Sachs estenderam mais uma vez o Programa de Assistência ao Cliente, que permite aos clientes adiar o pagamento da fatura do cartão.

Apple Card

Esse é o quarto mês seguido que a Maçã ativa o programa, destinado a ajudar clientes do Apple Card que tiveram suas finanças comprometidas pela pandemia. Ao solicitar o auxílio, o usuário poderá adiar o pagamento da sua fatura em algumas semanas ou meses, sem cobrança de taxas ou multas que normalmente seriam aplicadas em situações do tipo.

Donos do Apple Card que queiram obter o auxílio precisam solicitá-lo manualmente a cada mês, enviando uma mensagem para o suporte do cartão pelo app Wallet. Obviamente, tudo isso só vale para residentes dos EUA — já que o Apple Card, até o momento, só está disponível por lá.

Em uma nota relacionada, o cartão de crédito da Maçã passou recentemente a suportar a exportação de transações em dois novos formatos: Quicken (QFX) e QuickBooks (QBO). Isso permite que os clientes do Apple Card importem seus gastos com o cartão para os aplicativos da Intuit, muito usados para controle de gastos.

Itália lança app integrado a API

Por fim, a Itália tornou-se um dos primeiros países a lançar um aplicativo oficial de rastreamento do Coronavírus integrado à API desenvolvida pela Apple e pelo Google: o Immuni.

O aplicativo, desenvolvido pela Comissão Extraordinária para Combate à COVID-19 em parceria com o Ministério da Saúde italiano, segue todas as diretrizes da API das gigantes tecnológicas. Em outras palavras, ele não captura dados de geolocalização dos usuários, registrando apenas eventos de contato com possíveis pessoas contaminadas por meio de Bluetooth; os dados ficam salvos apenas no aparelho dos cidadãos, e podem ser enviados às autoridades no caso de um registro de possível infecção.

O Immuni traz uma interface amigável e altamente explicativa, para que todos entendam o seu funcionamento mesmo que não sejam familiares à tecnologia. O governo italiano nota que o uso do aplicativo é voluntário, mas está encorajando a população a baixá-lo — uma vez que, quanto maior seja o índice de usuários, mais efetivo será o rastreamento da doença.

A Suíça já tinha lançado uma versão de testes de um app parecido para os seus cidadãos, mas ele ainda encontra-se em fase beta, fechado para uma parcela da população. A Itália, portanto, mostrou serviço nesse jogo. Congratulazioni!

via iPhone in Canada, MacRumors, 9to5Mac

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…