Hacker australiano que roubou informações de funcionários da Apple não será preso

Um hacker australiano que confessou ter invadido sistemas da Apple e roubado informações confidenciais de funcionários da companhia (e depois compartilhá-las no Twitter) foi julgado recentemente e, para a sorte dele, evitou uma sentença de prisão. As informações são do Beta District News.

Publicidade

Segundo a reportagem, o hacker Abe Crannaford, agora com 24 anos, extraiu informações restritas da Apple entre meados de 2017 e o início de 2018; em seguida, publicou esses dados no Twitter. De acordo com a acusação, ele também teria fornecido links os firmwares da companhia no GitHub.

Por essas ações, Crannaford poderia ter sido condenado a dois anos de prisão, além do pagamento de uma multa de mais de US$10 mil; em vez disso, o promotor Doug Dick determinou que o jovem pagasse US$5 mil e aliviou a condenação da prisão, dando-lhe liberdade condicional de 18 meses.

A defesa do hacker argumentou que a Apple incentiva as pessoas a procurar por falhas nos seus sistemas e produtos ao disponibilizar um programa de recompensa por bugs (Apple Security Bounty); no entanto, o magistrado não aceitou inteiramente o argumento. Para o promotor, as violações de Crannaford ocorreram em várias ocasiões e foram compartilhadas com outras pessoas, de modo que “o conceito de recompensa é contrário às suas ações”.

Publicidade

Crannaford não é o primeiro ou o segundo jovem (australiano) que vai a júri por invadir sistemas da Apple; na realidade, ele é o terceiro réu a ser julgado por esse tipo de crime, pelo terceiro ano consecutivo — será que a Apple já pode pedir música no “Fantástico”?

via Cult of Mac

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…