Pensou que a disputa entre Apple e Basecamp, envolvendo o cliente de email HEY, terminou? Podemos até dizer que ela — aparentemente — está perto do fim, mas esse último capítulo foi crucial para os ânimos serem apaziguados. Coincidentemente, isso aconteceu a poucas horas da keynote de abertura da WWDC20 — convenhamos que não é nada legal começar um evento focado em desenvolvedores com uma polêmica dessas acontecendo.

Publicidade

Como falamos, o CTO1 da Basecamp havia classificado a Apple como “mafiosa” após uma atualização do app HEY ser rejeitada na App Store; a Apple então explicou o motivo da rejeição, dizendo que o cliente de email basicamente não funciona ao ser baixado da App Store (infringindo assim as regras da loja); a Basecamp então respondeu, afirmando que o grande problema da App Store tem a ver com a falta de opção.

Mas agora as coisas se acalmaram. Na última sexta-feira, David Heinemeier Hansson soltou o tweet abaixo:

Por toda a irritação e exasperação, aceitaremos essa oferta de @pschiller: “Há muitas coisas que eles podem fazer para que o aplicativo funcione de acordo com as regras que temos. Gostaríamos que eles fizessem isso.” Nós nunca implementaremos as In-App Purchases, mas tentamos algumas dessas outras “muitas coisas”.

Logo depois, Jason Fried (CEO2 da empresa) recebeu um email da equipe de revisão da App Store:

Publicidade
Email da equipe da App Store recebido pela Basecamp

No email, a equipe da loja disse que viu os tweets e que queria resolver os problemas com eles, informando que a atualização pendente foi aprovada.

Após agradecer à Apple (afinal, independentemente de qualquer coisa, a empresa cedeu), Fried explicou o que eles fizeram: a primeira coisa, obviamente, foi liberar essa atualização (1.0.2) do HEY para clientes. Mas para resolver a questão e se enquadrar nas regras da loja de uma vez por todas, o executivo decidiu contornar um dos grandes problemas do app na opinião de Phil Schiller, que era o não-funcionamento dele assim que clientes o baixavam na App Store.

Ainda inúmeros apps façam exatamente isso (Netflix, GitHub, Google Docs, Tesla, WeWork, Nintendo Switch, etc.), a equipe do HEY trabalhou bastante no fim de semana para já enviar à App Store nesta segunda-feira a versão 1.0.3 com uma novidade: uma opção de uso gratuita (trial) do HEY, por 14 dias.

Publicidade

Esta nova versão apresenta uma nova opção gratuita para o aplicativo para iOS. Agora, usuários podem se inscrever diretamente no aplicativo para obter um endereço de email gratuito, temporário, aleatório @hey.com, que funciona por 14 dias. Pense nisso como um cartão SIM temporário que você compra quando viaja. Ou quando você não deseja fornecer seu endereço de email real, como para um anúncio de “venda” rápido, como o Craigslist [uma espécie de classificados bastante famoso nos Estados Unidos] faz.

Nós também aceleramos nossa oferta HEY for Work para vários usuários, na qual a empresa paga, mas os funcionários não. Isso coloca a HEY alinhada à Basecamp e a dezenas de outras ofertas empresariais multiplataforma de alto perfil que são permitidas na App Store há uma década. Acabamos de integrar várias empresas, estamos rodando todo os emails da empresa Basecamp pelo HEY, e milhares de empresas já aderiram à lista de espera do HEY for Work. O HEY for Work usa o mesmo aplicativo para iOS de todos os outros.

Portanto, agora oferecemos essa nova opção gratuita e o HEY for Work para vários usuários — tudo no mesmo aplicativo para iOS. Estamos confiantes de que essas melhorias satisfarão as preocupações de Schiller sobre a experiência do usuário e o modelo de negócios. Espero que isso abra um caminho previsível também para outros serviços SaaS multiplataforma como o nosso.

Ou seja, nada de In-App Purchases dentro do HEY; por outro lado, a questão de poder usar o app assim que ele é baixado na App Store está resolvida e muito provavelmente a Apple aceitará tal modelo.

É o cenário ideal? Na visão da Basecamp, não. Seria muito mais interessante clientes poderem assinar e pagar tudo pelo próprio app, mas usando a infraestrutura financeira da Basecamp em vez da estrutura de pagamento da Apple. Ainda assim, aparentemente a polêmica terminou — se a Apple aprovar a versão 1.0.3.

Vale notar que a polêmica teve o seu lado positivo para a Basecamp:

Publicidade
O lançamento do HEY excedeu até os nossos sonhos mais loucos. Levamos quase 5 meses para chegar a 30 mil pessoas interessadas, mas demoramos 1 semana para chegar a 100 mil! E são pessoas que estão TÃO INTERESSADAS que nos escreveram emails com histórias/poemas/notas! É de 🤯

Nada como uma disputa envolvendo uma empresa do porte da Apple, com os desdobramos sendo cobertos por grande parte da mídia especializada, não é mesmo? 😉

via The Verge

Atualização 25/06/2020 às 17:20

Como esperado, a versão 1.0.3 do HEY foi aprovada pela Apple.

A Apple aprovou definitivamente o HEY na App Store!! Sem In-App Purchase, sem redução de 30%, mas abrimos as portas para um serviço de endereço temporário gratuito e usamos o mesmo aplicativo para contas comerciais. Estou tão incrivelmente aliviado! E agora o HEY está aberto a TODOS! Não é necessário mais convite 🎉❤️ hey.com

Aparentemente, tudo certo entre as empresas, agora. E, quem quiser, já pode testar o cliente de email por 14 dias pelo próprio app antes de bater o martelo e assinar o serviço, que custa US$100 por ano.


Ícone do app HEY Email

HEY Email

de Basecamp, LLC

Compatível com iPadsCompatível com iPhones
Versão 1.0.5 (40.7 MB)
Requer o iOS 13.0 ou superior
Screenshot do app HEY EmailScreenshot do app HEY EmailScreenshot do app HEY EmailScreenshot do app HEY EmailScreenshot do app HEY EmailScreenshot do app HEY Email

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…