Kit de transição para chip da Apple custa US$500 e inclui um Mac mini com processador A12Z O objetivo da empresa é fornecer aos desenvolvedores as ferramentas necessárias para que eles migrem seus apps

Após o anúncio de que abandonará os chips da Intel, a Apple deixou claro que pretende realizar uma transição suave para os seus próprios chips — tanto para desenvolvedores quanto, claro, para consumidores.

Publicidade

Para desenvolvedores, a companhia anunciou o Universal App Quick Start Program, uma “iniciativa” que fornece “todas as ferramentas, recursos e suporte necessários para criar, testar e otimizar sua próxima geração de aplicativos universais para o macOS Big Sur“.

Com acesso exclusivo a um kit de transição para Macs com o Apple Silicon, recursos e suporte técnico individual, desenvolvedores terão a base necessária para preparar seus apps antes que os novos Macs equipados com chips da Maçã sejam lançados/comercializados.

Mais precisamente, esse kit inclui:

Publicidade
  • Softwares e ferramentas de testes: acesso total às versões beta do Xcode e do macOS Big Sur, além de ferramentas necessárias para desenvolver aplicativos universais para Macs com o Apple Silicon.
  • Laboratórios para desenvolvedores: oportunidade para obter informações técnicas, práticas recomendadas e orientação quanto à programação de um app com especialistas da Apple.
  • Suporte técnico: opção para solicitar suporte a nível de engenharia, a fim de solucionar possíveis problemas com o hardware (limitado).
  • Fóruns privados: contato exclusivo com engenheiros e outros membros do programa.
  • Recursos de desenvolvimento: acesso a vídeos e documentos sobre o desenvolvimento e testes de aplicativos universais.
  • Developer Transition Kit (DTK): fornecimento de um Mac mini exclusivo equipado com um chip A12Z Bionic, 16GB de RAM, SSD de 512GB, rodando o macOS Big Sur e o Xcode 12.

Por tudo isso, o desenvolvedor terá que desembolar US$500 — um preço até razoável se levarmos em conta que o Mac mini mais barato hoje sai por US$800. Ainda assim, o desenvolvedor não fica com a máquina — será preciso devolver tudo para a Apple após o fim do programa.

Em 2005, a Apple disponibilizou um kit de transição para desenvolvedores, o qual custava US$1.000 e tinha que ser devolvido para a empresa até o fim de 2006; quando um desenvolvedor ou uma empresa devolvia, contudo, a Apple entregava um iMac de primeira geração da Intel — foi um bom negócio para desenvolvedores, e a expectativa é que a Apple siga um caminho similar agora, quem sabe.

Antes de “adquirir” o kit, porém, é preciso cumprir com alguns requisitos: primeiramente, o desenvolvedor deverá enviar um app como forma de seleção e aqueles que forem aprovados receberão um link com acesso ao programa. Segundo a Maçã, os candidatos que já possuem um app para macOS terão prioridade, pois a disponibilidade é limitada.

Publicidade

Outro requisito depende da localização do desenvolvedor. Nesse caso, para se qualificar pro programa, você deve ser um desenvolvedor titular do Apple Developer Program em um dos seguintes países ou regiões: Alemanha, Austrália, Áustria, Bélgica, Canadá, China, Cingapura, Coreia do Sul, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, França, Hong Kong, Hungria, Irlanda, Itália, Japão, Luxemburgo, México, Noruega, Nova Zelândia, Países Baixos, Polônia, Portugal, Reino Unido, República Checa, Rússia, Suécia, Suíça e Taiwan.

Todos os termos e condições do programa podem ser vistos nesse PDF.

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…