Tradicionalmente após cada WWDC, o blogueiro John Gruber, do Daring Fireball, realiza uma edição ao vivo do podcast The Talk Show, no qual ele entrevista executivos da Apple sobre as novidades anunciadas.

Publicidade

Como este ano não tem sido nem um pouco tradicional, o podcast não pôde ser gravado presencialmente; em vez disso, o vice-presidente sênior de softwares da Apple, Craig Federighi, e o vice-presidente de marketing de produtos Greg Joswiak, se juntaram virtualmente a Gruber.

Alguns dos tópicos abordados incluem a transição de processadores da Intel para os chips próprios da Apple nos futuros Macs (incluindo a confirmação de que eles não contarão com Boot Camp), o Mac Catalyst e o iOS 14, entre outros assuntos.

Apple Silicon

Sobre o Apple Silicon e o macOS Big Sur, Federighi disse que ambas as transições (dos processadores de Macs e do design do macOS) “são um momento simbólico na história do Mac”.

Publicidade

O executivo também contou que os desenvolvedores que adquirirem o kit básico de transição vão adorar o desempenho: “Dá uma ideia do que a nossa equipe de chips pode fazer quando nem sequer está se esforçando.”

Aqueles de nós que sabem o que está por vir estão muito animados. Mas você pode imaginar que a Apple não seguiria um caminho como esse sem sentir que foi um passo tremendo para o Mac. Estamos empolgados em contar a história completa mas, agora, espero que os desenvolvedores estejam empolgados e compelidos a embarcar e fazer a parte deles.

Quando perguntado sobre o Boot Camp em Macs com o Apple Silicon, Federighi confirma que as máquinas equipadas com os processadores da Maçã não contarão com o recurso, sugerindo outros softwares de virtualização para a execução do Windows nessas máquinas — ecoando as mesmas declarações que a Microsoft deu sobre o assunto.

Não vamos inserir diretamente um sistema operacional alternativo. O fato de mencionarmos virtualização na keynote foi, em parte, um sinal para o interesse das pessoas pelo tópico.

Mac Catalyst

Com relação ao Mac Catalyst, Gruber questionou o porquê de aplicativos criados com essa tecnologia até o momento serem “insatisfatórios”. Federighi disse que vê o projeto como uma “grande iniciativa plurianual” e aponta para as melhorias introduzidas no macOS Big Sur as quais permitem que desenvolvedores usem controles nativos da interface do Mac em seus apps.

Publicidade

iOS 14

Em relação ao iOS 14, Federighi observou que a Biblioteca de Apps (App Library) realmente pode se tornar o “destino padrão para novos downloads de aplicativos”. Segundo ele, se um usuário editou sua tela inicial para ocultar as várias páginas existentes, os apps recém-baixados serão alocados apenas nessa biblioteca.

A conversa completa tem pouco mais de uma hora e se inicia aos 12 minutos do vídeo. Vale a pena conferir! 😉

via 9to5Mac

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…