Pentes de memória RAM DDR

A Apple anunciou ontem novos iMacs de 27 polegadas, e uma das novidades deles é que suportam agora o dobro de RAM da geração anterior: até 128GB.

Publicidade

Felizmente, ao contrário de muitos Macs atuais, a memória dos iMacs ainda é acessível e substituível pelo usuário. E isso é importantíssimo, porque *ninguém* deve pagar o que a Apple cobra pelo seus upgrades de RAM.

Aliás, já começa pelo fato vergonhoso de toda a linha iMac ainda vir com 8GB padrões de fábrica. Estamos em 2020, Apple, todos os modelos já tinham que ter no mínimo 16GB — como os MacBooks Pro atuais, diga-se.

Pois bem, essas são as opções de upgrade que a Apple oferece para os iMacs:

Publicidade
  • 16GB: +US$200 (ou R$2.000)
  • 32GB: +US$600 (ou R$6.000)
  • 64GB: +US$1.000 (ou R$10.000)
  • 128GB: +US$2.600 (ou R$26.000)

É isso, mesmo: no Brasil, para você comprar um iMac de 27″ com 128GB de RAM de fábrica, pagará R$26.000 a mais só pelo upgrade de memória. 😂

A boa notícia, como falamos, é que ninguém precisa se submeter a esse assalto. A memória dos iMacs é uma PC4-21300 DDR4 SO-DIMM de 2.666MHz convencional, que você pode comprar em qualquer lugar. Claro, não adianta também economizar demais nisso, porque você pode acabar comprando algo muito ruim/vagabundo.

Tomemos então, como exemplo, as memórias da Other World Computing (OWC) para os iMacs. Lá você tem várias combinações diferentes de capacidades de pentes, mas seguindo o mesmo esquema da Apple, os preços são os seguintes:

Publicidade
  • 16GB: US$70
  • 32GB: US$135
  • 64GB: US$310
  • 128GB: US$600

Sim, para ir aos 128GB você só precisaria gastar menos de um quarto do que a Apple cobra e ainda poderia depois vender os pentes que já vieram pré-instalados no iMac para abater um pouquinho desse total. 😛

Eu até acho normal que a Apple cobre um certo premium por esses upgrades, afinal eles têm que fabricar uma versão personalizada do computador e não simplesmente lhe entregar os pentes avulsos que você mesmo instala. Mas essa diferença está estupenda; se os valores fossem cortados pela metade(!), ainda estariam caros. No Brasil, nem se fala.

via Daring Fireball

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…