Microsoft faz dura crítica à política da App Store que barrou o xCloud

Microsoft xCloud

E, sem muito esforço, a Apple está no meio de mais uma grande polêmica envolvendo as políticas da App Store.

Publicidade

Ontem, noticiamos que a Microsoft abortou os testes do xCloud para iOS e decidiu não mais lançá-lo para iPhones e iPads. A plataforma de streaming de jogos chegará apenas para Android, no dia 15 de setembro.

Mais tarde, um porta-voz da Apple explicou em declaração que essa impossibilidade deve-se ao fato de que o time de aprovação de apps da companhia não teria como avaliar os jogos distribuídos por meio da plataforma da Microsoft.

Agora, foi a vez da Microsoft de vir a público. E ela fez uma dura crítica à Apple:

Publicidade

Nosso período de testes para o aplicativo de visualização Project xCloud para iOS expirou. Infelizmente, não temos um caminho para levar nossa visão de jogos em nuvem com o Xbox Game Pass Ultimate para jogadores no iOS por meio da App Store. A Apple é a única plataforma de uso geral que impede os consumidores de jogos em nuvem e serviços de assinatura de jogos como o Xbox Game Pass. E trata consistentemente os aplicativos de jogos de maneira diferente, aplicando regras mais brandas a aplicativos que não são de jogos, mesmo quando eles incluem conteúdo interativo. Todos os jogos disponíveis no catálogo Xbox Game Pass são classificados por conteúdo por organismos independentes de classificação do setor, como o ESRB e equivalentes regionais. Estamos empenhados em encontrar um caminho para trazer os jogos em nuvem com o Xbox Game Pass Ultimate para a plataforma iOS. Acreditamos que os clientes devem estar no centro da experiência de jogo e os jogadores nos dizem que desejam jogar, se conectar e compartilhar em qualquer lugar, não importa onde estejam. Nós concordamos.

Um argumento comum quanto a essa política é que a Apple não faz essa distinção quando se trata de apps de streaming de vídeos ou de música, por exemplo, visto que ela não tem controle nenhum sobre o conteúdo distribuído por meio deles.

Num primeiro momento, achei a analogia perfeita. Mas depois, pensando melhor, há uma diferença significativa aqui que é o fato de que jogos precisam executar códigos localmente no dispositivo, e esses de fato não passariam pela aprovação da Apple.

Ainda assim, o xCloud não é um serviço qualquer, de uma empresa desconhecida. A Apple pode e precisa abrir mão do controle de certas coisas; sim, é fato que ela não aprovaria os jogos dessa plataforma, mas realmente não cabe a ela fazer isso. Cabe à Microsoft, e qualquer problema que surgir a partir daí seria responsabilidade da Microsoft.

A Apple precisa parar de tratar a maioria dos seus consumidores como bebês de fralda e abraçar para valer o amadurecimento do seu ecossistema. Fechá-lo dessa forma não traz benefício prático nenhum e só mancha ainda mais a imagem da Apple e da App Store em si perante o mercado.

Sem falar, claro, que quando estamos tratando de uma limitação que beneficia diretamente uma plataforma própria da empresa — neste caso, o Apple Arcade —, logo surgem especulações acerca dos interesses comerciais da Apple com essas políticas. Não dá para tirar a razão de quem pensa dessa forma.

via The Verge

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…