Apple bloqueou atualizações do WordPress para iOS por querer 30% de uma receita que não existe [atualizado 2x] De todos os casos da App Store até agora, esse é o mais inexplicável

Ícone do WordPress

Mais um dia, mais uma acusação de comportamento predatório por conta da Apple e da App Store — hoje, com uma pitada de non-sense jogada na receita.

Publicidade

Explico: o cofundador da plataforma WordPress, Matt Mullenweg, afirmou hoje no Twitter que a Apple bloqueou updates do aplicativo do serviço na App Store, exigindo que a empresa ofereça a venda de domínios e de planos pagos no aplicativo (e compartilhe, portanto, 30% da receita gerada com essas vendas). O problema: o WordPress nunca fez, nem tinha planos de fazê-lo via aplicativo.

Informe sobre o motivo de o @WordPressiOS não estar recebendo atualizações… fomos bloqueados pela App Store. Para liberar novos updates e correções de bugs, nós precisaríamos nos comprometer a oferecer compras internas com planos .com. Eu sei porque isso é problemático e estou aberto a sugestões. Permitir outras compras internas? Novo nome?

Para os não-versados em WordPress, a plataforma tem, digamos, duas versões (ambas de código aberto): o wordpress.org é a sua versão profissional, na qual desenvolvedores e webmasters podem instalar o software em hospedagens e domínios próprios e personalizá-lo ao seu bel prazer. Milhões de websites profissionais, MacMagazine incluso, são baseados nesse software.

Já o wordpress.com é a versão simplificada do serviço, em que blogueiros iniciantes podem iniciar um site em poucos toques/cliques e de forma gratuita; usuários que queiram um domínio próprio (seudominio.com, por exemplo) podem, opcionalmente, comprá-lo na própria plataforma ou fazer o upgrade para planos pagos, com mais armazenamento e opções de personalização e suporte.

Publicidade

O aplicativo do WordPress, embora permita que usuários acessem sites da versão .org, é focado na versão .com: por lá, usuários podem iniciar novos sites rápida e gratuitamente. O app não traz nenhum tipo de compra interna — quem quiser adquirir um domínio ou assinar um plano pago precisa necessariamente fazê-lo pelo site do WordPress.

É aí que entra a pitada non-sense da história: se Mullenweg estiver relatando a história toda (e ele não teria nenhum motivo para não fazê-lo, aparentemente), a Apple obrigou o WordPress a oferecer um serviço que nunca esteve no app do iOS para então cobrar sua taxa de 30% sobre ele.

O caso, claro, atraiu críticas de usuários e profissionais que mantém sites no WordPress. Um deles foi Ben Thompson, do Stratechery:

Eu estou admitidamente confuso sobre o motivo de a Apple negar atualizações para o aplicativo de código aberto, que me permite acessar meu site de código aberto, porque acontece de um usuário do app vender domínios. Aliás, a Apple não ia deixar de segurar updates com correções de bugs?
O WordPress (e o seu app) são de Licença Pública Geral GNU, e os termos e DRM da App Store violam o GNY. Então apenas o dono do copyright pode manter um app para todo o WordPress, seja o auto-hospedado ou o WordPress.com. A Apple, portanto, está mantendo milhões de sites reféns porque quer 30% das vendas de domínios da Automattic [dona do WordPress].

Para que fique claro, o app não vende nada, e por que venderia? É um projeto de código aberto. A Apple está obrigando a adição de uma ferramenta que não tem qualquer razão plausível para existir.

No fim das contas, temos aqui mais um caso que muito provavelmente será usado contra a Apple nos tribunais, seja pela Epic ou por qualquer outra empresa que queira enfrentar a Maçã.

Resta saber se, com a divulgação da história, a empresa voltará atrás nessa exigência. A versão atual do WordPress para iOS, a 15.4, saiu hoje mesmo na App Store — ou seja, dá a entender que a Automattic acatou a exigência da Apple, embora absolutamente nada sobre isso seja citado nas notas de liberação (changelog) do último update. Bem esquisito.


Ícone do app WordPress

WordPress

de Automattic

Compatível com iPadsCompatível com iPhones
Versão 15.7 (186.3 MB)
Requer o iOS 11.0 ou superior

Atualização, por Eduardo Marques 22/08/2020 às 01:58

O The Verge explicou a confusão sobre a mais recente atualização do aplicativo.

Publicidade

De acordo com eles, Mullenweg tentou dialogar com a Apple e até mesmo solucionar o problema bloqueando as funções do app relacionadas aos planos pagos oferecidos no site (a fim de ficar em conformidade com as regras da loja).

A Maçã, contudo, não aceitou. Ele então desistiu da disputa e combinou que implementará as compras dentro do app em até 30 dias, o que fez a Apple liberar o último update (ainda sem as In-App Purchases).

Atualização II, por Rafael Fischmann 23/08/2020 às 06:55

O caso já foi resolvido.

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…