Apple quer “mudar o mundo” com iniciativas ambientais, diz executiva

A Apple fez (e ainda faz) inúmeros avanços em sua empreitada para se tornar uma empresa ecologicamente correta — como a iniciativa de neutralizar a emissão de carbono em todos os seus negócios até 2030.

Publicidade

A meta, que abrange desde a cadeia de abastecimento até o fim do ciclo de vida dos dispositivos, está sendo enfrentada agressivamente, mas a tarefa também é enorme em escala devido ao tamanho da Apple.

Em um novo perfil publicado pela British GQ, a vice-presidente de meio ambiente, política e iniciativas sociais da Apple, Lisa Jackson, e o novo vice-presidente sênior de marketing mundial, Greg Joswiak, foram questionados sobre a escala dessa iniciativa e como vai o progresso da empresa.

De acordo com Jackson, a dimensão do problema a ser resolvido “ainda é difícil de digerir”:

Publicidade

É um objetivo realmente enorme. Mesmo dizendo isso, sempre fico um pouco amedrontada, porque sei quanto trabalho está envolvido em fazê-lo, mas temos um plano muito detalhado.

Nesse sentido, Joswiak apontou que o “ambientalismo profundo é sentido em outras áreas da empresa” e que o próprio impacto de tais ações “ultrapassarão suas fronteiras”. Além disso, ele pode ter dado mais uma dica de que a Maçã pretende remover alguns acessórios da caixa dos próximos iPhones, como os fones de ouvido com fio (EarPods) e o adaptador de parede do carregador.

Temos sorte que as pessoas compram muitos produtos da Apple, então sabemos que as decisões que tomamos a esse respeito terão um impacto enorme. É nossa responsabilidade minimizar a embalagem e minimizar o que está na embalagem, caso não seja algo que o consumidor precise.

Ainda sobre o impacto dessas iniciativas, Jackson trouxe à tona como o CEO1 da Apple, Tim Cook, diz aos funcionários para “tentar influenciar os outros com suas ações”.

[As iniciativas] não são apenas para mudar a Apple, mas para mudar o mundo. A Apple é uma fabricante e esse é o segmento mais difícil de descarbonizar e mudar para energia limpa. Quando fizermos esse trabalho, muitas dessas outras fabricantes usarão energia limpa para outras pessoas.

Google também neutralizará emissão de carbono

Por falar na influência das iniciativas ambientais da Apple, outra gigante da tecnologia americana também anunciou que pretende neutralizar a emissão de carbono em suas atividades até 2030: o Google.

Isso significa que escritórios, campi e data centers da empresa funcionarão alimentados a partir de fontes de energia renováveis. Embora o Google alegue que isso já ocorra, eles não estão totalmente isentos da emissão de carbono — em vez disso, como é típico para empresas que buscam operações mais verdes, o Google compra energia renovável em outros lugares para compensar o uso de energia não-renovável em locais onde não há fontes diretamente acessíveis disponíveis.

A iniciativa, portanto, significará o desenvolvimento efetivo de novas fontes de energia limpa. Para tanto, o Google afirma que ajudará a disponibilizar 5 gigawatts (GW) de novas fontes de energia sem carbono até 2030 em todas as regiões onde possui recursos físicos que precisam de energia limpa.

via AppleInsider, TechCrunch

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…