Novas imagens da GrayKey (famigerada ferramenta capaz de desbloquear iPhones, criada pela startup de forense de dispositivos Grayshift) protocoladas pela Comissão Federal de Comunicações (Federal Communications Commission, ou FCC) dos Estados Unidos emergiram recentemente, fornecendo mais detalhes do dispositivo que é o pesadelo da Apple.

Publicidade

O aparelho ganhou notoriedade em 2018, quando a Grayshift alegou que poderia desbloquear até mesmo iPhones mais recentespor uma bolada e tanto. Inicialmente, descobriu-se que o uso da GrayKey era destinado principalmente para agentes e investigadores do FBI1, permitindo que eles acessassem iPhones bloqueados sem exigir a permissão do dono.

As fotos da FCC incluem um teardown da GrayKey e revelam que a ferramenta conta com um processador ARM da israelense CompuLab. Algumas imagens internas mostram, ainda, um SSD2 na parte superior da placa-mãe, embora o design desse componente sugira que ele não faça parte do conjunto — provavelmente ele foi colocado lá para esconder a parte inferior do circuito.

Interior da GrayKey

Por fora, o dispositivo tem poucos detalhes: são duas saídas Lightning (com cabos integrados) e indicadores de LED sobre elas; há, também, uma porta Ethernet e outra USB para conectá-lo a um computador.

Além das fotos publicadas pela FCC, a Motherboard teve acesso a uma imagem da interface da GrayKey, por meio de uma solicitação de registros públicos. A captura de tela fazia parte de um relatório de bug do software, por isso a mensagem de erro.

UI da GrayKey

É improvável que essas novas imagens ajudem a Apple em algum sentido, mas elas dão uma boa visão de um dispositivo que geralmente fica guardado em laboratórios forenses da polícia.

via AppleInsider

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…