Facebook quer que Messenger possa ser o mensageiro padrão do iOS Agora que o iOS 14 abriu o caminho, ninguém sabe o dia de amanhã

Ícones do Messenger, WhatsApp, Facebook e Viber no iPhone

Com alguns anos de atraso, o iOS/iPadOS 14 finalmente deu aos usuários a opção de alterar os navegadores e clientes de email padrão em seus dispositivos. Ainda não é a solução completa de personalização sonhada por todos, mas é um primeiro passo valioso — e, agora, um agente quiçá improvável está se movimentando para que a Apple continue na sua caminhada: o Facebook.

Publicidade

Segundo o The Information1, a gigante de Mark Zuckerberg iniciou mais uma investida sobre a Maçã, desta vez para tentar convencer a empresa a permitir que outros aplicativos de mensagens instantâneas sejam configurados como padrão no iOS.

As intenções da rede são óbvias: abrir espaço para que os bilhões de donos de iPhones e iPads ao redor do mundo tenham o Facebook Messenger (ou o WhatsApp, em mercados como o Brasil) como mensageiro padrão em seus dispositivos.

O Facebook iniciou a estratégia de pressão com uma crítica pública. O chefe do Facebook Messenger, Stan Chudnovsky, afirmou que a tendência da indústria é abrir espaço a esse tipo de personalização — e a Apple, ao negar essa possibilidade aos desenvolvedores de mensageiros, cria (mais) um ambiente desequilibrado.

Publicidade

Nós pensamos que as pessoas deveriam escolher diferentes aplicativos padrão em seus smartphones. No geral, tudo está indo nessa direção. […] Para quaisquer outros desenvolvedores no mundo dos mensageiros, não há um campo de concorrência justo [no iOS]. Se a Apple fizesse como o Android, nós poderíamos competir com igualdade de condições onde o iOS domina.

Chudnovsky refere-se ao domínio do iMessage na plataforma da Maçã — domínio, claro, muito mais sentido nos Estados Unidos do que em outros países, uma vez que o mensageiro da Apple tem uso bastante infrequente especialmente em países emergentes (como o nosso).

O executivo afirmou que o Facebook já solicitou diversas vezes à Apple essa abertura no sistema, mas nunca obteve sucesso. Caso a Maçã atenda ao pedido, a novidade deverá surgir da mesma forma como já ocorre no Android: no sistema do robozinho, usuários podem escolher outros aplicativos de mensagem como padrão, onde recebem SMS e aos quais são redirecionados ao tocar num contato ou em um número de telefone, por exemplo.

Por outro lado, abrir a escolha do mensageiro padrão no iOS é um salto bem mais distante do que liberar navegadores ou clientes de email. Por dois motivos: primeiramente, vai ser difícil a Apple largar o osso do poder que o iMessage tem, ao menos nos EUA. Além disso, o mensageiro da Maçã está no “núcleo” do sistema de segurança do iOS, com criptografia de ponta a ponta nas suas mensagens; se a Maçã atendesse aos pedidos, perderia um dos principais chamarizes de privacidade da sua plataforma.

Publicidade

A estratégia do Facebook, portanto, não é apenas de convencimento e sim de (mais uma vez) pintar as práticas da Apple como predatórias e monopolísticas. Desta forma, quem sabe, a rede de Mark Zuckerberg pode influenciar uma decisão judicial que obrigue a Maçã a abrir seus domínios — uma consequência que desenha-se de forma cada vez mais clara no caso da App Store, e poderá respingar também em outros elementos da experiência do iOS.

O que vocês acham?


Ícone do app Messenger

Messenger

de Facebook, Inc.

Compatível com iPadsCompatível com iPhonesCompatível com Apple Watches
Versão 286.0 (96.6 MB)
Requer o iOS 9.0 ou superior

via 9to5Mac

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…